LITESCAPE.PT – Atlas das Paisagens Literárias de Portugal Continental tem como missão estudar a literatura portuguesa ou de língua portuguesa publicada entre meados do século XIX e a atualidade, no sentido de nela identificar as descrições de paisagens relativas ao território de Portugal Continental.

O projeto foi iniciado em 2010, pensado, estruturado e coordenado até 2017 por Ana Isabel Queiroz. A sua motivação era usar a literatura como fonte para o conhecimento da paisagem no território nacional, bem como a sua evolução. Do projeto nasceu uma base de dados e uma aplicação web, onde foram registadas todas as informações das “leituras” dos mais de 30 colaboradores do projeto. Foram também publicados vários e-books e artigos em revistas científicas com avaliação por pares, nacionais e internacionais. O projeto desenvolveu também outras atividades conexas, como colóquios, conferências, workshops e a coordenação de uma comunidade de leitura.

Desde 2018, o projeto é coordenado por Natália Constâncio e Daniel Alves, tendo sido iniciado um esforço de atualização da estrutura tecnológica do mesmo, com novas linhas temáticas de investigação (nomeadamente sobre poesia) e novas parcerias com colegas de outros centros de investigação, mas também com um público mais diversificado que tem aderido à ideia de juntar o gosto pela leitura com um maior conhecimento do território.

O LITESCAPE.PT tem como por objetivos:
– Ligar a literatura ao território, potenciando a recíproca valorização das obras literários e das paisagens nelas representadas, e contribuindo para o lazer e o turismo;

– Contribuir para o conhecimento do património natural e cultural, elementos-chave das identidades locais e regionais;
– Concorrer para a literacia ambiental (padrões e processos ecológicos associados às paisagens atuais);
– Contribuir para a implementação de Convenção Europeia da Paisagem (objetivos de qualidade paisagística).

O projeto desenvolve atividades descentralizadas através de uma equipa de investigação interdisciplinar. Cada colaborador contribui com leituras de obras específicas, recolha de excertos e a sua classificação em termos temáticos e geográficos. Para isso é usada uma base de dados online, partilhada e colaborativa. Entre outras metodologias, são usados métodos quantitativos e sistemas de informação geográfica para a análise dos registos da base de dados.

Este projeto pretende fazer uma utilização integrada de métodos de “close reading” e “distant reading”, com uma significativa utilização de análise estatística e de uma abordagem geográfica, que tradicionalmente não está presente noutros projetos semelhantes. 

Entre 2010 e 2015 o projeto foi financiado no âmbito do contrato Ciência da Ana Isabel Queiroz, pelo IELT – Instituto de Estudos de Literatura e Tradição e pela EGEAC. Atualmente conta com o apoio pontual à investigação concedido no âmbito dos planos estratégicos do IELT e do IHC. Têm ainda como parceiro a Fabula Urbis e a Fundação Eça de Queiroz.

Equipa: Natália Constâncio (Investigadora responsável), Daniel Alves (Investigador responsável), Ana Cristina Carvalho, Ana Isabel Queiroz, Ana Lavrador, Carla Guerreiro, Carlos Augusto Ribeiro, Clara Sarmento, Irene Fialho, Isabel Fernandes Alves, Isabel Vasconcelos Ferreira, Joana Gaspar Freitas, Joana Portela, Lídia Machado dos Santos, Margarida Fernandes, Maria Mota, Rita Baleiro, Rita Taborda Duarte, Sílvia Quinteiro e Susana Neves

Atividades já organizadas:
– Comunidade de Leitores de Paisagens Literárias de Lisboa, Lisboa, 2010-2015;
– Percursos Literários, em vários locais, 2010-2015;
– Colóquio internacional “Falas da Terra no século XXI. What do we see green?”, Lisboa, FCG, julho de 2011;
– Colóquio “Vozes Transmontanas na Paisagem”, Lisboa, 2012;
– Oficina Internacional sobre paisagens literárias “Lisboa nas narrativas: olhares do exterior sobre a cidade antiga e contemporânea”, Lisboa, 2012;
– Apresentação do livro “A Paisagem e as palavras que lá estão”, Lisboa, Fundação José Saramago, outubro de 2012;
– Colóquio “Paisagens Literárias e Percursos do Fado”, Lisboa, Museu do Fado, abril de 2014.

Atividades previstas para o futuro:
– Workshop “Interdisciplinary approaches to slow travel and literature in northern Portugal”, Porto, 2019;
– Ciclo de conferências “A Presença no Alto Alentejo”, Castelo de Vide, 2019;
– Publicação de um livro com ensaios sobre autores da Presença (José Régio, Francisco Bugalho e Branquinho da Fonseca), em parceira com a Opera Omnia, julho de 2019;
– Criação de roteiros literários em parceria com a JiTT.travel, 2019;
– Apresentação de uma comunicação no congresso internacional “A época do espazo. Estado e novas perspectivas”, Santiago de Compostela, abril de 2019;
– Apresentação de uma comunicação na conferência internacional “Escrever espaços, mapear palavras: cruzamentos entre geografia, cartografia e estudos literários”, Universidade de Lisboa, maio de 2019.

Publicações produzidas no âmbito do projeto:
Alves, D. and Queiroz, A.I (2013). “Studying Urban Space and Literary Representations Using GIS”. Lisbon, Portugal, 1852-2009. Social Science History, Volume 37, Number 4: 457-481 DOI: 10.1215/01455532-2346861

Alves, Daniel, Queiroz, A.I. “Exploring Literary Landscapes: From Texts to Spatiotemporal Analysis through Collaborative Work and GIS”. International Journal of Humanities and Arts Computing 03/2015; 9(1):57-73. DOI: 10.3366/ijhac.2015.0138

Cunha, Fernanda. «Levantado do Chão, através do “Atlas das Paisagens Literárias”». Paisagem Quase, Conferência organizada pelo IELT e a Fundação José Saramago, NOVA FCSH, 5 de maio de 2011. (apresentação).

Cunha, Fernanda. A Paisagem e as palavras que lá estão. Levantado do Chão, um romance político. Colecção À Mão de Respigar, 46. Lisboa, Apenas Livros, 2012.

Lavrador, A. e Tavares, A.C. “A literary ride through Bacchus’ landscapes. Enometrics XVIII”, Angers (França). 18 – 21 May (apresentação em congresso)

Lavrador, A. e Tavares, A.C. “Cultural and sensorial trips through portuguese winegrowing regions”. 34º Congresso Mundial da Vinha e do Vinho e a Assembleia Geral da OIV (Organização Internacional da Vinha e do Vinho), Edifício da Alfândega, Porto. 20 a 27 de junho (artigo submetido).

Lopes-Fernandes, Margarida, Soares, Filipa, Frazão-Moreira, Amélia & Ana Isabel Queiroz (2016) “Living with the Beast: Wolves and Humans through Portuguese Literature”, Anthrozoös, 29:1, 5-20. DOI:10.1080/08927936.2015.1060056

Queiroz, A.I., Alves, Daniel, “Walking Through the Revolution: A Spatial Reading of Literary Echoes”. Journal of Social Science Education 06/2015; 14(2). DOI: 10.2390/jsse-v14-i2-1351

Queiroz, A.I., Fernandes, M.L. and Soares, F (2013). “The Portuguese Literary Wolf”, Literary and Linguistic Computing. doi: 10.1093/llc/fqt069

Queiroz, Ana Isabel & Alves, Daniel. Lisboa, lugares da literatura. História e geografia na narrativa de ficção do século XIX à actualidade. Colecção À Mão de Respigar, 44. Lisboa, Apenas Livros, 2012. [ISBN 978-989-618-365-3]

Queiroz, Ana Isabel & Carrilho, João. «Stone Metafors about a Village: a “Stone Vessel” or “The most Portuguese”». Ecozon@ 2 (1) (2011): 19-33.

Queiroz, AI, Soares, F (2016). “Birds in Portuguese literature”, Environment and History 22: 229–254. DOI: 10.3197/096734016X14574329314362

Queiroz, Ana Isabel. «Atlas of the Literary Landscape of Mainland Portugal». 4th EASCLE Conference – Environmental Change – Cultural Change. 1st – 4th September, 2010. University of Bath, UK.

Queiroz, Ana Isabel. «Convite para as paisagens literárias urbanas». As Cidades, 2º workshop de investigação do Programa Gulbenkian Próximo Futuro. 24 e 25 de fevereiro de 2010. Auditório 3 da Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa, Portugal.

Queiroz, Ana Isabel. Histórias do lobo nas obras de Aquilino. aquilino 2 (2010): 223-236.

Projetos Relacionados