Romanceiro.pt é uma plataforma digital que tem como missão acolher vários projetos de estudo e disseminação da balada ibérica em Língua Portuguesa.

Na sua génese, o Arquivo do Romanceiro Português alberga dois núcleos documentais: o Arquivo do Instituto de Estudos sobre o Romanceiro Velho e Tradicional. Versões Inéditas, constituído pelo arquivo sonoro do Romanceiro e suas transcrições em papel, e o Arquivo Geral do Romanceiro Português. Versões editadas (1828-2000), constituído por versões em papel. Atualmente, acolhe cerca de 6.000 versões de romances de tradição oral moderna portuguesa publicadas entre o século XIX e o século XXI e mais de 3.500 versões inéditas em 660 horas de gravação, fruto de recolhas levadas a cabo em território nacional desde 1980. No total, disponibilizam-se perto de 10.000 versões de romances, em suporte de ficheiro de imagem e/ou sonoro.

Em 2013 iniciou-se o processo de digitalização dos núcleos documentais do Arquivo do Romanceiro Português, ao abrigo do projeto “O Arquivo do Romanceiro Português da Tradição Oral Moderna (1828-2010): sua preservação e difusão”. Através de uma parceria entre a Fundação Manuel Viegas Guerreiro e o Centro de Investigação em Artes e Comunicação, e com o apoio da Fundação Calouste Gulbenkian no âmbito do “Concurso de Recuperação, Tratamento e Organização de Acervos Documentais” (2013), pode finalmente dar-se um passo decisivo na salvaguarda e promoção do Arquivo do Romanceiro Português.

Com a disponibilização deste arquivo em rede, tornou-se acessível tanto ao público especialista como ao grande público um conjunto de grande valor cultural, que alberga perto de 14.000 imagens de documentos de grande relevo no âmbito da literatura patrimonial portuguesa.

Em 2017, a plataforma Romanceiro.pt ganhou a identidade visual que tem atualmente e em 2018 foi apresentada a nova versão da base de dados que constitui o primeiro passo para a constituição do Arquivo do Romanceiro em Língua Portuguesa, desiderato que o projeto assume a partir de agora. Na fase atual de desenvolvimento, o projeto visa os seguintes objetivos:

Ampliação e atualização do corpus romancístico do Arquivo do Romanceiro Tradicional em Língua Portuguesa, com especial ênfase na tradição oral brasileira;

1. Implementação de novas metodologias filológicas e de edição da poesia tradicional;
2. Investigação com vista à implementação de uma experiência de navegação mais intuitiva nas bases de dados alojadas;
3. Preservação e curadoria dos dados gerados e estudo de formas de interoperabilidade com plataformas conexas;
4. Difusão do conhecimento gerado junto da comunidade científica e do público em geral acerca do Romanceiro Tradicional.

O projeto tem como coordenador Pere Ferré e como responsável científica Sandra Boto. A equipa conta ainda com Juan Manuel Escribano, Mirian Tavares, Bruno Belmonte, Natália Pires, Emília Pacheco, Ana Luísa Lauria e Isa Mestre. A equipa inclui especialistas da área da informática, da comunicação de ciência, das ciências da informação e da filologia, que atuam nas diferentes vertentes enunciadas nos objetivos, desenvolvendo as tarefas, materiais ou consultoria previstos.

Portugal foi o primeiro país a possuir um grande inventário de uma tradição baladística, e com ele novas metodologias filológicas têm vindo a ser esboçadas, em trabalhos académicos de mestrado e doutoramento, nacionais e internacionais. Na realidade, a consulta dos arquivos que romanceiro.pt acolhe contribui para uma visão sistemática e organizada desta forma poética em Portugal, mas também na compreensão da baladística como fenómeno universal. Romanceiro.pt transforma, deste modo, a tradição oral portuguesa na rama do romanceiro pan-hispânico melhor representada digitalmente, tanto do ponto de vista do acesso às versões como de metodologias e ferramentas de trabalho do âmbito da filologia digital.

O projeto conta com o financiamento da Fundação Calouste Gulbenkian (2013-2014), do Centro de Investigação em Artes e Comunicação (2014-2020), do Instituto de Estudos de Literatura e Tradição (2020-) e do Concurso Estímulo ao Emprego Científico Individual da FCT [CEECIND/00058/2018]. Tem ainda como parceiro a Fundação Manuel Viegas Guerreiro.

Publicações no âmbito do projeto:

Boto, Sandra e Bruno Belmonte (2020), “O Romanceiro ibérico no Brasil: um património da Língua Portuguesa em ambiente digital”, Journal of Digital Media & Interaction, vol. 3, No. 7, (2020), pp. 161-177.

Boto, Sandra (2019), “Os nacionalismos ibéricos nos estudos sobre o romanceiro tradicional” en Cristina Martínez Tejero y Santiago Pérez Isasi (eds.), Perspetivas críticas sobre os estudos ibéricos, Biblioteca Rassegna iberística, Venezia, Edizioni Ca’Foscari, pp. 153-173. DOI 10.30687/978-88-6969-323-6/006

Boto, Sandra (2017). “O subsídio de José Pedro Martins Barata para a divulgação do Romanceiro Português”. Portugal: Colibri. Associação Cultural de Montalvão “Vamos à Vila”,

Boto, Sandra (2016). “Para a história da edição do romanceiro no Algarve: protagonistas, textos, suportes e uma falsa questão”. In Promontoria Monográfica História do Algarve 03. Apontamentos para a História das Culturas de Escrita: da Idade do Ferro à Era Digital, 313-334. Portugal: Centro de Estudos em Património, Paisagem e Construção.

Boto, Sandra; Ferré, Pere; Tavares, Mirian (2014). “Projeto “O arquivo do romanceiro português da tradição oral moderna (1828-2010): sua preservação e difusão””Actas das VII Jornadas de Investigação do CIAC. Faro, Portugal: CIAC – Centro de Investigação em Artes e Comunicação.

Bibliografia recomendada:

Boto, Sandra e Bruno Belmonte (2020), “O Romanceiro ibérico no Brasil: um património da Língua Portuguesa em ambiente digital”, Journal of Digital Media & Interaction, vol. 3, No. 7, (2020), pp. 161-177.

Boto, Sandra; Ferré, Pere; Tavares, Mirian (2014). “Projeto “O arquivo do romanceiro português da tradição oral moderna (1828-2010): sua preservação e difusão””Actas das VII Jornadas de Investigação do CIAC. Faro, Portugal: CIAC – Centro de Investigação em Artes e Comunicação.

Ferré, Pere (2000, 2001, 2003 e 2004), Romanceiro Português da Tradição Oral Moderna. Versões publicadas entre 1828 e 1960, vol. I a IV, Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian.

Ferré, Pere e Cristina Carinhas (2000), Bibliografia do Romanceiro Português da Tradição Oral Moderna(1828-2000), Madrid, Instituto Universitario Seminario Menéndezn Pidal, Universidad Complutense de Madrid.

Projetos Relacionados
izmir escort bayan izmir escort bayan izmir escort bayan izmir escort bayan denizli escort bayan antalya escort antalya escort ankara escort bayan Ankara escort ankara escort izmir escort bayan izmir escort bayan
maltepe escort kadıköy escort kartal escort ataşehir escort pendik escort bostancı escort göztepe escort
pendik escort