Jornada Manuel Bandeira

Numa passagem da sua autobiografia poética, Itinerário de Pasárgada, depois de aludir a “uma meia-dúzia de talentos que não me toleram nem como poeta nem como homem”, Bandeira escreve: “Mas eles acabarão gostando: sei, por experiência, que no Brasil todo sujeito inteligente acaba gostando de mim”.

A passagem é decerto irónica. Mas a Jornada Manuel Bandeira, que decorre no dia 15 de novembro, na Biblioteca Nacional de Portugal, pretende levar muito a sério essa boutade, e reavaliar, através de um conjunto de comunicações de investigadores do Brasil, dos Estados Unidos e de Portugal, a atualidade e a importância da obra de Manuel Bandeira para a poesia moderna em português, a partir do seu papel singular no modernismo brasileiro, da sua leitura por poetas portugueses, da sua reflexão teórica e da complexidade e coerência da sua obra.

Participarão na jornada investigadores do Brasil, dos Estados Unidos e de Portugal: Abel Barros Baptista (Universidade Nova de Lisboa), Clara Rowland (Universidade Nova de Lisboa), Fernando Martinho (Universidade de Lisboa), Joana Meirim (Universidade Católica Portuguesa), Joana Matos Frias (Universidade do Porto), Murilo Marcondes de Moura (Universidade de São Paulo), Pedro Meira Monteiro (Universidade de Princeton), Sofia Sequeira (Universidade Nova de Lisboa) e Yudith Rosenbaum (Universidade de São Paulo).

Programa completo aqui. A entrada é livre.


Recent Posts