Jornais / Revistas

CAIS

Namoro e galanteio no século XIX e começo do século XX: Mostra-me e diz-me como me amas?

Veronique Semik

Janeiro 2014

Naqueles tempos, nos idos do século XIX, o namoro e o galanteio eram actos ritualizados. Em As Farpas (tomo VI) Ramalho Ortigão afirma: «O que é o namoro? [...] Este acto consiste em atrair e fixar num passeio, num teatro, numa igreja, o olhar de uma menina honesta; de a seguir até casa, como se segue uma cocotte, a ela, que vai ao lado de sua mãe, no meio de seus irmãos mais novos ou pelo braço do seu pai; de lhe dirigir no outro dia uma declaração de amor por intermédio de um jornal complacente ou de um criado brejeiro, de lhe pedir uma resposta, uma entrevista, um sinal de que lhe não é diferente».