Call for papers

V Encontro da REDE BRASPOR

Mértola

CFP até 15 de Julho 2015

(Fotografia cedida pela Câmara Municipal de Mértola)

O Evento

Enquadramento e Objetivos

A Rede BRASPOR é uma rede informal, aberta, de geometria variável, que visa fomentar a cooperação e a divulgação entre investigadores, de várias áreas do saber, que se dedicam ao estudo dos sistemas costeiros.

Quando da primeira reunião, no Porto, em 2011, foi decidido a realização de encontros anuais, ora em Portugal, ora no Brasil, para propiciar o contacto entre os seus membros, apresentação dos resultados das suas pesquisas e estabelecimento de novas ações de colaboração. Assim, depois do Porto (PT), em 2011, Paraty (BR), em 2012, Ponte de Lima (PT), em 2013, e Manaus (BR), em 2014, o próximo encontro será em Mértola (PT), de 5 a 8 de Outubro de 2015.

O V Encontro da Rede BRASPOR, tal como os anteriores, privilegia, como temática geral, as abordagens holísticas que contemplem enquanto conjunto o Meio e o Homem, que o explora e modifica. A temática específica a abordar nesta reunião será Entre Rios e Mares: um Património de Ambientes, História e Saberes.

Os principais objetivos deste encontro são:

- Intensificar a colaboração entre os investigadores pertencentes à Rede, fomentando os trabalhos conjuntos e uma maior articulação entre os diferentes saberes, especialmente entre as Ciências Naturais e Exatas e as Ciências Humanas e Sociais;

- Apresentar os resultados de pesquisas efetuadas, propiciar oportunidades para elaborar e ouvir críticas construtivas e sugestões de outros investigadores, no sentido de melhorar a qualidade da investigação e ampliar os níveis de interdisciplinaridade;

- Produzir sínteses comparativas entre sistemas costeiros dos dois países, discussão de hipóteses de trabalho e de novas abordagens de investigação, beneficiando das complementaridades existentes na Rede;

- Elaborar estratégias possíveis, para o futuro, que, tendo em conta a evolução das zonas costeiras e os desafios atuais, relativos às alterações climáticas e às necessidades das sociedades humanas, possam garantir a sustentabilidade dos ecossistemas e dos modos de vida das populações;

- Incrementar os níveis de internacionalização e de produtividade científica dos investigadores envolvidos na Rede, explorando as sinergias decorrentes da cooperação entre grupos de diferentes área científicas e geográficas, com diferentes métodos de trabalho e abordagens;

- Expandir a Rede BRASPOR a novos elementos através da divulgação da produção dos seus membros e das oportunidades de colaboração nas pesquisas em curso.

 

Comissões

Comissão Organizadora

Luís Cancela da Fonseca (MARE – Centro de Ciências do Mar e do Ambiente / CTA – Centro de Ciências e Tecnologias da Água da Universidade do Algarve)

Joana Gaspar de Freitas (IELT - Instituto de Estudos de Literatura e Tradição da FCSH, Universidade Nova de Lisboa / Centro de História da Universidade de Lisboa)

João Alveirinho Dias (CIMA – Centro de Estudos Marinhos e Ambientais da Universidade do Algarve / Universidade Federal de Santa Catarina)

Cláudio Torres (CAM – Campo Arqueológico de Mértola)

Maria Rosário Bastos (Universidade Aberta / CEPESE – Centro de Estudos da População, Economia e Sociedade da Universidade do Porto)

Tomasz Boski (CIMA – Centro de Estudos Marinhos e Ambientais da Universidade do Algarve / Universidade do Rio Grande do Norte)

 

Comissão Científica

Alexandre Schiavetti (UESC - BR)

Ana Paula Guimarães (UNL - PT)

Ana Ramos Pereira (UL- PT)

António Klein (UFSC – BR)

Artur Gil (UAç – PT)

Carlos Pereira da Silva (UNL – PT)

Celeste Coelho (UAv – PT)

Davis Pereira de Paula (UVA – BR)

Dieter Muehe (UFES – BR)

Emiliano de Oliveira (Unimonte – BR)

Eunice Nodari (UFSC – BR)

Filomena Martins (UAv – PT)

Helena Calado (UAç – PT)

Helena Guimarães (UEv – PT)

Jacqueline Albino (UFES – BR)

João Pedro Ribeiro (UL – PT)

Jorge Trindade (UAb – PT)

Lená Medeiros de Menezes (UERJ – BR)

Lúcio Cunha (UC – PT)

Luís Sousa Martins (UNL – PT)

Maria Cristina Crispim (UFPB – BR)

Michel Mahiques (USP – BR)

Natália Hanazaki (UFSB – BR)

Paulo Seda (UERJ – BR)

Pedro Proença Cunha (UC – PT)

Susana Gomez (CAM – PT)

Ulisses Miranda Azeiteiro (UAb – PT)

Tomaz Dentinho (UAç – PT)

 

Coordenação da Rede BRASPOR

João Alveirinho Dias (CIMA / Ualg) e Maria Antonieta Rodrigues (UERJ)

(Coordenadores)

Maria Rosário Bastos (UAb / CEPESE) e Jáder Onofre de Morais (UECE)

(Vice-Coordenadores)

Mária de Fátima Araújo (ITN) e Sílvia Dias Pereira (UERJ)

(Coordenadores Adjuntos)

 

Datas

Apresentação dos resumos: até 15 de Julho de 2015

Seleção dos resumos e informações aos autores: 20 de Julho de 2015

Realização do evento: 5 a 8 de Outubro de 2015

 

Programa

Em elaboração

 

Comunicações

Temas

  • Influência do Ser Humano nas características físicas e químicas dos ecossistemas.

  • A componente biológica dos ecossistemas na presença do Ser Humano;

  • Interações Ser Humano – Ambiente: consonâncias e dissonâncias.

  • Aspetos naturais e humanos na construção da paisagem.

  • Repercussões dos ciclos económicos nos serviços ambientais.

  • Serviços ambientais como atractores e impulsionadores sociais.

 

Submissão de resumos

Ver ficha de inscrição abaixo.

 

Publicação de artigos

As comunicações do encontro, submetidas sob a forma de artigo, depois de sujeitas a peer review serão publicadas em local e formato ainda a decidir.

 

Mértola, Vila Museu

Vila alentejana, situada na margem direita do rio Guadiana, Mértola tem uma história muito antiga. Em todo o concelho há vestígios de povoamento que remontam ao Neolítico. Em Mértola estiveram Iberos, Fenícios, Gregos, Cartagineses, Romanos e Árabes. A sua localização estratégia – o último porto do Guadiana, que a partir daqui deixa de ser navegável – explicam o papel de relevo que teve desde cedo como centro mercantil, difusor de produtos e gentes entre o litoral e o interior do país e do Mediterrâneo.

Conquistado no reinado de D. Sancho II, em 1238, este território foi doado à Ordem dos Cavaleiros de Santiago. Recebeu foral do rei D. Manuel em 1512 e durante os séculos XVI e XVII, o porto de Mértola foi exportador de cereais para as posições portuguesas no Norte de África.

Em finais do século XIX, a descoberta e exploração do filão mineiro de S. Domingos trouxe novo dinamismo e população a esta terra.

A partir dos anos de 1980 uma intensa atividade arqueológica veio revelar o passado de Mértola, pondo a descoberto edifícios e objetos que testemunham a passagem dos povos e a vitalidade desta terra em tempos antigos. O conjunto desse património, inventariado e estudado, exposto a quem visita a vila, fazem desta um museu a céu aberto e são hoje parte integrante da sua identidade e memória.

Para mais informações sobre Mértola, como chegar, onde ficar, onde comer, consultar http://visitmertola.pt

 

Contactos

Carolina Vilardouro

Instituto de Estudos de Literatura e Tradição

Faculdade de Ciências Sociais e Humanas - FCSH/NOVA

Av. de Berna, 26 C, 1069-061 Lisboa | Portugal

Tel: +351217908300 / Ext.:1241

E-mail: braspor2015@gmail.com