beylikdüzü escort avcılar escort CFP: Artes de Cura II | IELT

CFP: Artes de Cura II

Na sequência do colóquio Artes de Cura – medicinas tradicionais no século XXI, organizado pelo IELT – FCSH/NOVA, surge a necessidade de refletir e reforçar a aproximação entre as ciências da vida e as humanidades, um vetor cada vez mais frágil no âmbito dos cuidados de saúde.

Dirigindo-se a todos os profissionais das áreas da saúde, assim como à comunidade científica, em especial, aos investigadores nas áreas das humanidades e ciências sociais, o colóquio Artes de Cura II – Prevenir, cuidar e curar: O olhar das Humanidades articula-se em torno de três conceitos fundamentais que enformam os diversos actos profissionais em saúde – prevenir, cuidar e curar.

O colóquio Artes da Cura II procura interrogar o que podemos compreender hoje, à luz dos mais actuais e diversos conhecimentos, por noções como corpo, saúde e doença, prevenção e cura ou cuidado e função dos cuidadores. Para tal, ambiciona suscitar um diálogo aberto e partilhado entre investigadores oriundos de diversos campos científicos, das ciências da vida à antropologia, passando pela história, pela sociologia e psicologia, sem esquecer a filosofia ou os estudos literários.

Conceitos neutralizados quer pela proliferação na linguagem corrente e mediática, quer por se terem convertido num monopólio de um saber técnico e altamente especializado, a presente iniciativa convida a pensar os domínios da prevenção, do cuidado, da cura e temáticas afins numa perspectiva científica e humanística.

Em primeiro lugar, dar-se-á atenção ao estatuto epistemológico e histórico da prevenção. Como afirmava William A. Haseltine – figura cimeira do projeto «genoma humano» – «a morte é um conjunto de doenças susceptíveis de prevenção». O que justifica tal optimismo nos nossos dias? Que concepção da morte está implícita neste juízo? Neste sentido, articulando o nosso passado histórico com o presente, procurar-se-á examinar representações diacrónicas do corpo, da saúde e da doença, contrastantes, confluentes ou complementares; questionar a importância dos «regimes de saúde» – as «técnicas da existência», práticas de si que requerem uma atenção do indivíduo em relação a si próprio e ao seu corpo – as expectativas que lhes subjazem, os desvirtuamentos que podem conhecer (vigorexia, etc.), as práticas do corpo em que consubstanciam (dietéticas, desportivas).

Num segundo momento, dar-se-á relevo à função histórica e ao significado do cuidado das práticas médico-farmacêuticas e da enfermagem, do passado aos nossos dias. Cuidar e curar: dois termos da mesma equação? Conceitos diferentes, remetendo para esferas de acção e competências profissionais diferentes, embora complementares? Estas são algumas das questões a que pretendemos dar resposta, apelando à contribuição dos profissionais da área, mas também da sociologia, da história, da antropologia e da literatura.

Por último, discutir-se-á o domínio da cura e a polissemia deste conceito, as possibilidades e os limites das práticas médicas, as representações e expectativas dos profissionais envolvidos e, naturalmente, o lugar do paciente

Como reacção ao desaparecimento do paciente da «cosmologia médica» num passado recente, à tendência para a sua redução a um conjunto padronizado de sintomas ou uma instância numérica, áreas disciplinares tão diversas como a medicina narrativa, a história cultural ou a etnologia têm chamado a atenção para a importância fulcral deste na própria eficácia do tratamento ministrado. O que concorre, então, para a eficácia do tratamento? Qual a natureza e o que está em jogo no encontro clínico? O que motiva alguém a procurar o curandeiro, em detrimento dos profissionais de saúde credenciados pelas Universidades, em meios clínicos ou do serviço hospitalar? Será a “sugestão” um placebo empírico e tradicional? Será a dita medicina popular, simplesmente, um arcaísmo?

Linhas temáticas:
Representações da doença e da cura;
Práticas do corpo, prevenção e regimes de saúde;
O lugar dos cuidadores;
O passado e o presente das profissões de saúde;
Eficácia simbólica e agentes de cura.

Comissão Científica:
Adelino Cardoso (CHAM – FCSH/NOVA)
Aurélio Lopes (IELT – FCSH/NOVA)
Bruno Barreiros (CHAM – FCSH/NOVA)
Margarida Esperança Pina (IELT – FCSH/NOVA)

Comissão Organizadora:
Ana Paula Guimarães (IELT – FCSH/NOVA)
Anabela Gonçalves (IELT – FCSH/NOVA)
Carolina Vilardouro (IELT – FCSH/NOVA)
João Neto (Museu da Farmácia)
Paula Basso (Museu da Farmácia)

Calendário:
Submissão das propostas até 30 de abril
Comunicação dos resultados a 31 de maio
Envio de propostas (max. 20 linhas) e biografia (max. 200 palavras) até 30 de abril para o email artesdecura@fcsh.unl.pt

Inscrições:
Participantes (com ou sem comunicação) – 35€
Estudantes (mediamente apresentação do comprovativo) – 25€
Desempregados isentos (mediamente apresentação do comprovativo) até 30 de setembro. A partir de 1 de outubro – 15€

Sugestões
izmir escort bayan izmir escort bayan izmir escort bayan izmir escort bayan denizli escort bayan antalya escort antalya escort ankara escort bayan Ankara escort ankara escort izmir escort bayan izmir escort bayan
pendik escort
maltepe escort kadıköy escort kartal escort ataşehir escort pendik escort bostancı escort göztepe escort anadolu yakası escort
betexper
tuzla escort beylikduzu escort dosemealti escort bahcelievler escort belek escort
gaziantep escort antep escort porno
adana escort ankara escort antep escort aydin escort bursa escort denizli escort diyarbakir escort eskisehir escort kayseri escort kocaeli escort konya escort malatya escort
sakarya escort bayan sakarya escort escort sakarya serdivan escort bayan adapazarı escort webmaster forumu
porno izle