O DIAITA – Património Alimentar da Lusofonia visa proceder a um estudo aprofundado e interdisciplinar sobre uma temática fundamental de um património e identidade culturais comuns a portugueses e brasileiros: a história e a cultura da alimentação.

Uma equipa de especialistas de várias áreas disciplinares (História, Arqueologia, Filologia, Museologia, Arte, Dietética, Gastronomia e Nutrição), da Antiguidade aos nossos dias, responsabiliza-se pela criação de conteúdos científicos necessários à criação de dois universos digitais inéditos, destinados à preservação e divulgação das Culturas Alimentares do Espaço Lusófono: Museu e Biblioteca virtual DIAITA.

Trata-se de uma investigação em rede, pioneira no espaço lusófono, reunindo investigadores portugueses e brasileiros. Através de uma pesquisa assente no rigor científico e no conhecimento fidedigno das fontes (escritas, materiais e iconográficas) procura-se fazer uma história e um levantamento do património dos padrões alimentares identitários que vigoram na actualidade, tanto portuguesa como brasileira.

Os trabalhos incidem sobre a tradução, o estudo e a publicação de fontes escritas, tanto inéditas como indisponíveis em português (caso dos textos clássicos, gregos e latinos, matriciais para o conhecimento do padrão alimentar mediterrânico original, levado na bagagem dos portugueses para o Brasil). Também as fontes materiais e iconográficas serão, pela primeira vez, inventariadas, estudadas, reunidas e disponibilizadas em formato digital e em papel (sobretudo os textos) tanto para um público académico como generalista.

Financiamento:
O projeto DIAITA é apoiado por fundos nacionais através da FCT no âmbito do Projeto UID/ELT/00196/2013 (Centro de Estudos Clássicos e Humanísticos da Universidade de Coimbra) bem como do Projeto PEst OE/ELT/UI0657/2015 (Instituto de Estudos de Literatura e Tradição).

Ao abrigo do Programa de Cooperação Científica e Tecnológica FCT/CAPES, foi aprovado, no presente ano, o projeto “DIAITA – Museu & Biblioteca Virtuais do Património Alimentar da Lusofonia (Parte I – Portugal e Brasil)”, a desenvolver no biénio 2014/2015, sendo a responsável portuguesa do projeto Carmen Soares (CECH-UC) e, do lado brasileiro, Regina Bustamante (Instituto de História da UFRJ).

O financiamento atribuído destina-se a apoiar a mobilidade anual de dois investigadores ao território brasileiro, nos termos do protocolo firmado. O projeto tem as referências FCT 2417 e CAPES 10396/13-0. O projeto é também financiado Fundação Calouste Gulbenkian, no âmbito do concurso anual de 2014 de Apoio a Projetos de Investigação no domínio da Língua e Cultura Portuguesas (ano de execução: 2015).

Projetos Relacionados