O projeto Diálogos Portugueses tem por objetivo o estudo e a edição de textos produzidos em diálogo, entendido enquanto género.

Desenvolvido pelo CEIL – Centro de Estudos sobre o Imaginário Literário, atualmente um grupo de investigação integrado no IELT, o projeto designou-se na sua fase inicial (2010 a 2013) “Diálogos Quinhentistas” e ocupou-se da edição de textos de Francisco de Melgaço (trad.) (séc. XV), Francisco de Moraes (1500?-1572?) e João de Barros (1496 -1570).

O alargamento do trabalho ao universo dos diálogos em português, ou de autores portugueses, aquém e além de quinhentos, decorreu naturalmente das metas do grupo de trabalho.

A equipa ocupa-se agora de Diálogos Portugueses dos séculos XV aos século XIX, sob a coordenação de Irene Freire Nunes, coadjuvada por outros membros da equipa, no âmbito do grupo de investigação “Estudos Interdisciplinares sobre o Imaginário”. O projeto tem sido desdobrado em projetos parcelares, temáticos, decorrentes do projeto geral. Objetivos:

1. Identificar e localizar textos portugueses, ou de autores portugueses, em diálogo;
2. Editar textos em diálogo;
3. Estudar os textos e o género;
4. Preservar e divulgar o património dialógico português.

A equipa organiza o seu trabalho em função da recolha de dados em várias bibliotecas e do posterior tratamento da informação recolhida. Procura apoios e estabelece contactos e ou parcerias em função dos objetivos do projeto e do material identificado e recolhido. Reorganiza os objetivos de execução do projeto em função dos recursos de que dispõe.

O projeto Diálogos Portugueses diferencia-se por ser o único a ocupar-se do assunto em Portugal e permite identificar aspetos relevantes do imaginário cultural e da pragmática social ao longo do tempo.

O projeto é financiado pelo IELT – Instituto de Estudos de Literatura e Tradição da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, pela Fundação Calouste Gulbenkian e pela Comissão Portuguesa de História Militar.

O projeto teve início em 2014 e continua no ativo até hoje.

A equipa de trabalho integra professores de várias universidades portuguesas e espanholas e outros investigadores. São eles: Ana Sofia Laranjinha, Carlos Carreto, Elisa Gomes da Torre, Filipe Moreira, Isabel Barros Dias, Isabel Morán Cabanas, Isabel Morujão, Margarida Santos Alpalhão, Maria Teresa Nascimento, Natália Albino Pires, Sofia Vilarigues, Teresa Araújo, Teresa Gonçalves Castro, Maria Barreto Dávila e Eduardo Castro.

Atividades já organizadas e planeadas para o futuro: Em junho de 2016 teve lugar na NOVA FCSH o colóquio “Literatura e Ciência: Diálogos Multidisciplinares”, que contou com o apoio da Fundação Calouste Gulbenkian, e para outubro de 2018 preve-se a realização do colóquio “Literatura e Ciência: Diálogos Multidisciplinares II”, que terá lugar na Universidade Aberta.

Publicações produzidas no âmbito do projeto:
Francisco de Morais, Diálogos ou Colóquios, edição e estudo de Isabel Barros Dias, Ana Sofia Laranjinha, Margarida Santos Alpalhão, IELT, 2016

Diálogo de Robim e do Teólogo, edição e estudo de Irene Freire Nunes e Margarida Santos Alpalhão, IELT, 2016

Limite. Revista de Estudios Portugueses y de la Lusofonía (caderno temático: Diálogo e Ciência)
Isabel Barros Dias, Margarida Santos Alpalhão, Margarida Esperança Pina (coords.), vol. 11.1 (2017) p. 9-110

Isabel Barros Dias, Margarida Santos Alpalhão, Margarida Esperança Pina (coords.), «Introdução», Limite. Revista de Estudios Portugueses y de la Lusofonía (caderno temático: Diálogo e Ciência), vol. 11.1 (2017) p. 9-12.

Ji-young Huh – «Nouvelles découvertes et littérature : du récit de voyage au dialogue scientifique – Pérégrination et Entretiens sur la pluralité des mondes» Limite. Revista de Estudios Portugueses y de la Lusofonía (caderno temático: Diálogo e Ciência), vol. 11.1 (2017) p. 13-23.

Natália Albino Pires, «”Do coquo chamado, scilicet, do coquo comum”: Garcia da Orta em diálogo com a ciência», Limite. Revista de Estudios Portugueses y de la Lusofonía (caderno temático: Diálogo e Ciência), n.º 11.1 (2017), p. 25-41.

Teresa Nobre de Carvalho, «A figura de Garcia de Orta traçada pelo Conde de Ficalho. Os diálogos entre o biógrafo e Colóquios dos Simples», Limite. Revista de Estudios Portugueses y de la Lusofonía (caderno temático: Diálogo e Ciência), n.º 11.1 (2017), p. 43-71.

Teresa Araújo, «Ensinar por decreto e por “diálogo”: manuais oratorianos dos meados de Setecentos», Limite. Revista de Estudios Portugueses y de la Lusofonía (caderno temático: Diálogo e Ciência), n.º 11.1 (2017), p. 73-88.

Carlos Fiolhais, «Os Diálogos Filosóficos do padre teodoro de Almeida», Limite. Revista de Estudios Portugueses y de la Lusofonía (caderno temático: Diálogo e Ciência), vol. 11.1 (2017) p. 89-110.

Isabel Barros Dias, «[recensão crítica a] Maria Fernanda Rollo, Maria de Fátima Nunes, Madalena Esperança Pina e Maria Inês Queiroz (coord.), Espaços e Actores da Ciência em Portugal (XVIII-XX), Casal da Cambra, Caleidoscópio, D. L., 2014, 372 pp.», Limite. Revista de Estudios Portugueses y de la Lusofonía, n.º 11.1 (2017), p. 212-217

Margarida Esperança Pina, «[recensão crítica a] Teresa Nobre de Carvalho, Os desafios de Garcia de Orta. Colóquio dos Simples e Drogas da Índia, Lisboa, Esfera do Caos, 2015, 263 pp.», Limite. Revista de Estudios Portugueses y de la Lusofonía, n.º 11.1 (2017), p. 2224-227.

Limite. Revista de Estudios Portugueses y de la Lusofonía (caderno temático: Diálogo e Política)
Maria Teresa Nascimento (coord.), vol. 10.2 (2016) p. 9-122.

Maria Teresa Nascimento, «Introdução: o Diálogo e a Política», Revista de Estudios Portugueses y de la Lusofonía (caderno temático: Diálogo e Política), vol. 10.2 (2016) p. 9-11.

Margarida Santos Alpalhão, «O Diálogo de Robim e do Teólogo e a política na Idade Média portuguesa», Limite. Revista de Estudios Portugueses y de la Lusofonía (caderno temático: Diálogo e Política), n.º 10.2 (2016), p. 13-25

Márcio Ricardo Coelho Muniz, «Anrique da Mota: diálogos dramáticos e questões políticas no Cancioneiro Geral de Garcia de Resende», Limite. Revista de Estudios Portugueses y de la Lusofonía (caderno temático: Diálogo e Política), n.º 10.2 (2016), p. 27-28.

Sheila Hue, «A voz feminina nos diálogos portugueses do século XVI», Limite. Revista de Estudios Portugueses y de la Lusofonía (caderno temático: Diálogo e Política), n.º 10.2 (2016), p. 49-75.

Isabel Barros Dias, «Os primórdios do reino de Portugal. Argumentação e Política no “Diálogo Segundo”, de Pedro de Mariz», Limite. Revista de Estudios Portugueses y de la Lusofonía (caderno temático: Diálogo e Política), n.º 10.2 (2016), p. 77-107

Aurelio Vargas Díaz-Toledo, «La cuestión de la capitalidad en la obra de Luís Mendes de Vasconcelos: Do sítio de Lisboa (1608)», Limite. Revista de Estudios Portugueses y de la Lusofonía (caderno temático: Diálogo e Política), n.º 10.2 (2016), p. 109-122.

Margarida Santos Alpalhão e Isabel Barros Dias, «Diálogos Portugueses: contributo para um catálogo (Idade Média-século XVIII)», eHumanista, n.º 33 (2016), p. 457-518.

Maria Teresa Nascimento, «O Diálogo Quinhentista Português como mecanismo censório: Leituras e leitores», in Ana Vian Herreo, María José Veja e Roger Friedlein (eds.), Diálogo y Censura en el siglo XVI (España y Portugal), Frankfurt, Iberoamericana – Vervuert, 2016, p. 275-283.

Isabel Barros Dias, «O «Diálogo Terceiro» de Francisco de Moraes: paródia de costumes e censura», in Helder Godinho (dir.) e Margarida Alpalhão, Isabel Barros Dias e Carlos Carreto (orgs), Da Letra ao Imaginário. Homenagem à Professora Irene Freire Nunes, Lisboa, CEIL – FCSH, 2013, p. 453-463.

Margarida Santos Alpalhão, «Em torno da censura da obra de Francisco de Moraes: a propósito do seu “Dialogo Primeiro”», in Helder Godinho (dir.) e Margarida Alpalhão, Isabel Barros Dias e Carlos Carreto (orgs), Da Letra ao Imaginário. Homenagem à Professora Irene Freire Nunes, Lisboa, CEIL – FCSH, 2013, p. 475-490.

Natália Albino Pires e Teresa Castro, «Ropicapnefma revisitada nos alvores do século XXI: questões editoriais», in Helder Godinho (dir.) e Margarida Alpalhão, Isabel Barros Dias e Carlos Carreto (orgs), Da Letra ao Imaginário. Homenagem à Professora Irene Freire Nunes, Lisboa, CEIL – FCSH, 2013, p. 491-504.

Ana Sofia Laranjinha, «O «Diálogo Segundo» de Francisco de Moraes, ou como vencer um debate com armas alheias. Contributo para uma nova proposta de datação», in Helder Godinho (dir.) e Margarida Alpalhão, Isabel Barros Dias e Carlos Carreto (orgs), Da Letra ao Imaginário. Homenagem à Professora Irene Freire Nunes, Lisboa, CEIL – FCSH, 2013, p. 439-451.

Bibliografia recomendada:
Reinier Leushuis, Speaking of Love. The Love Dialogues in Italian and French Renaissance Literature, Leiden, Brill, 2017

Ana Vian Herreo, María José Veja e Roger Friedlein (eds.), Diálogo y Censura en el siglo XVI (España y Portugal), Frankfurt, Iberoamericana – Vervuert, 2016

Buron, P. Guénin e C. Lesage (dirs.), Les États du dialogue à L’Âge de l’Humanisme, Tours/Rennes, Presses Universsitaires François-Rabelais / Presses Universitaires de Rennes, 2015

Jesús Gómez, Tendencias del Diálogo Barroco (Literatura y pensamiento durante la segunda mitad del siglo XVII), Madrid, Visor Libros, 2015

M.-P. Bussières (ed.), La littérature des questions et réponses dans l’Antiquité profane et chrétienne: de l’enseignement à l’exégèse, Turnhout, Brepols, 2013

François Cooren e Alain Létourneau (dirs.), (Re)presentations and Dialogue, Amsterdam, John Benjamins Publishing Company, 2012

Maria Teresa Nascimento, O Diálogo na Literatura Portuguesa. Renascimento e Maneirismo, Coimbra, Centro Interuniversitário de Estudos Camonianos, 2011

Denoyelle, Poétique du Dialogue Médieval, Rennes, Presses Universitaires de Rennes, 2010

Florencia Miranda, Textos e Géneros em Diálogo. Uma abordagem linguística da intertextualização, Lisboa, FCG/FCT, 2010

[Imagem gentilmente cedida pela Biblioteca Nacional de Portugal: Missal segundo o rito cisterciense, Alc. 249, fl. 29v (detalhe)]

Projetos Relacionados